22 de out de 2012

Conferências x Meio Ambiente


Em linhas gerais pode-se dizer que as discutições sobre preservação dos recursos naturais/meio ambiente iniciam-se, em 1968, quando foi realizada em Paris a “Conferência sobre a Biosfera”, patrocinada pela UNESCO. Nesta, buscou-se alertar os governos do mundo sobre o estado crítico ambiental que se encontrava o planeta, mostrando também as consequências do agravamento desse processo. Com isso, a UNESCO lança em 1971 o programa “O Homem e a Biosfera” (MaB), que é um programa mundial de cooperação científica internacional buscando melhorar as relações globais entre os homens e o meio ambiente.

E em 1972, em Estocolmo, na Suécia, realizou-se a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, que é quando admite-se que os recursos naturais são finitos. A partir de então princípios são divulgados na Declaração de Estocolmo, visando orientar políticas governamentais quanto à gestão deste, buscando compatibilizar o desenvolvimento econômico à preservação ambiental.

Então em 1992, realizou-se a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD), conhecida também como RIO-92 ou Cupúla da Terra, reunindo chefes de estado também com a finalidade de conciliar meios de desenvolvimento socio-econômico com a conservação do meio ambiente. Nesta promulogou-se um documento assinado por 179 nações que contém recomendações concretas de como realizar a substituição dos atuais padrões de desenvolvimento vigentes no mundo por outros mais sustentáveis.

Este ano com a realização da Rio + 20, observa-se que apesar da mudança de paradigma ocorrida a partir da década de 1960, que é quando se percebe que os recursos ambientais esgotam-se, a lógica do sistema capitalista permanece. Consequentemente enquanto este sistema permanecer continuará ocorrendo os problemas socioambientais, já que a essência deste sistema é baseada no lucro, gerando a exploração exagerada destes recursos. Assim pode-se dizer que esta conferência é muito contraditória.
Postado por: Patrícia Ziani

Nenhum comentário:

Postar um comentário