3 de dez de 2015

Tragédia dos Comuns

A Tragédia dos Comuns é um tipo de armadilha social que envolve um conflito entre interesses individuais e o bem comum no uso de recursos naturais finitos. Entendemos por recurso natural todo elemento da natureza que pode ser explorado pelo homem, sabemos que estes recursos são um bem que pertence a todos, porém vivemos num sistema capitalista onde o lucro e o consumo excessivo é o que importa. Vejamos o seguinte exemplo, uma grande multinacional chega a nosso País, se apropriam de nossos recursos naturais, exploram tudo o que podem como se esses recursos fossem “infinitos e renováveis” o que não são. E para eles pouco importa se existe a possibilidade de causar danos pessoas comuns ou se esse recurso vai acaba, o que importa é que eles vão explorar tudo o que podem e depois que esse recurso acabar irão para outro lugar aonde tenha mais para extrair e por ai vai, o que importa é o lucro que eles terão...Para essas grandes empresas dane-se as pessoas como é o caso do rompimento da Barragem em Mariana, estamos presenciando o descaso da Vale do Rio Doce com a cidade, com as pessoas que morreram, com o meio ambiente, destruíram uma Bacia Hidrográfica inteira, e não estão nem ai...Por que o que importa é o lucro R$, é sair dessa gastando o mínimo de dinheiro possível... Ao privatizar esses recursos que são um bem de todos, estamos nos iludindo de que aquilo que for privado será mais bem cuidado, que pagaremos apenas pelo “tratamento da água”, que é só uma tachinha, quando na realidade estamos pagando caro por um bem que é nosso. A sociedade está se deixando induzir por um sistema que manipula e que mente para as pessoas, nos tornamos uma sociedade totalmente dependente desses recursos e excessivamente compulsiva, gastamos até mesmo quando não há necessidade, é mais fácil jogar fora um objeto estragado e comprar um novo, do que consertar aquele que estragou nos acostumamos a comprar coisas supérfluas, a conviver com conforto, com a luz, com a água, celular e por ai vai... Nos tornamos quase que 100% dependentes de tecnologia e desses recursos naturais que através da tecnologia nos permite sobreviver com o dito “conforto”, acabamos perdendo alguns valores pelo caminho , esquecemos que esses recursos não são infinitos e essa superexploração está condenando as estruturas desses recursos , que em algum momento cessarão, aí então a natureza nos cobrará alguma atitude... Não poderemos fazer vistas grossas para sempre.

Francis Schirrmann Silveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário